Existir

 

Já muito se disse sobre este álbum. Muitas palavras elogiosas foram gastas, em todas línguas. Existir foi o acontecimento que permitiu aos Madredeus atravessar as fronteiras do seu país.
Todos nós sabemos do sucesso que "Existir" teve em Portugal e que muitos fãs ainda o consideram como o melhor álbum da carreira dos Madredeus. Qual é a magia, a particularidade de "Existir"? Qual é o significado e a identidade de "Existir"?

Tal como Pedro Magalhães já o disse, este é um álbum "sobre Portugal" e as pessoas que já estiveram nesse maravilhoso país sabem que as suas cores, as suas paisagens são as que se descrevem nas canções de Existir. A fachada folclórica destas canções é sublinhada por diversas vezes mostrando as influências da música tradicional portuguesa, que alguns confundem com fado. De facto, o fado não é exactamente folclórico, mas uma forma de expressão musical muito mais complexa, composta de influências de outros países. Em vez disso, a tradição de que falamos, a dos festejos populares, talvez mostre melhor a verdadeira identidade do povo português, livre de influências coloniais, deixando intacta a alma "lusitana" que vê nas viagens e na exploração uma fonte de inspiração emocional e espiritual.
Quase podemos dizer que a música tradicional portuguesa e o fado revelam uma relação mútua, como causa e efeito: o fado é o fruto artístico e concreto de uma exploração espiritual e concreta que ocorreu nas Descobertas, enquanto que a música tradicional é a causa, o estado de espírito, a identidade espiritual que deu origem às explorações.
A musica tradicional é portadora dos valores dos exploradores portugueses quando deixavam Portugal, enquanto o fado canta os sentimentos doo regresso. É bastante claro que a saudade do folclore tem um tom diferente do do fado.
A música dos Madredeus está cheia da saudade folclórica e, em "Existir", esta dimensão é também musical e instrumental e não apenas conceptual e emocional.
Os Madredeus trouxeram sempre consigo os valores da alma portuguesa, os valores da música tradicional portuguesa e esta é a sua identidade. Mas em "Existir" também o meio musical (porque a música é também um meio) é inspirado nessas danças, nesse folclore.

Do ponto de vista meramente musical, todas as considerações que se possam tecer são uma consequência directa desta forma de interpretar. Deste ponto de vista, é compreensível a predominância do acordeão e da componente rítmica de muitas das canções ("O Pastor" e "O Ladrão" entre outras).
Da mesma forma, as letras são uma manifestação desta pesquisa da dimensão "primordial" da alma portuguesa. Os valores cantados, os temas que são analisados são os conhecidos : o mar, a viagem, o amor, a saudade. Mas é de realçar a diferença de tom em relação ao fado : é mais pacífico, mais sereno, aparentemente mais passivo.

Uma última questão acerca do título, "Existir" : existir, ser, viver. Tendo presente o que foi dito anteriormente, podemos compreender o significado desta palavra.
"Existir" é, com efeito, uma declaração de independência, ou melhor, de existência. Com este álbum tentam gritar ao mundo que Portugal é, existe, o seu povo existe, tal como a sua arte e a sua alma. Gostava de dizer tantas coisas acerca da forma como o mundo encara Portugal e gostava de falar acerca da razão por que é tão fácil esquecer este povo que, nos anos em que a globalização moderna começou, se encontrava fechado numa ditadura que isolou o país durante tanto tempo. Com "Existir", os Madredeus quiseram lembrar ao mundo que na ponta da Europa há um país que, devido ao carácter do seu povo, foi o primeiro a olhar para além do oceano; um país que abriu a era da globalização e nos deu a "consciência global", que nos deu tanto e que tem tanto ainda para nos dar. Mas este é exactamente o Espírito da Paz e é outro assunto...

Corvinus

from the site Madredeus - O Porto - http://go.to/madredeus